terça-feira, 10 de abril de 2012

INÍCIO DE UMA NOVA JORNADA


Minha irmã e meu cunhado-Minha eterna gratidão!


Minha irmã e seu 1° filho
                      http://familiacarloslusa.blogspot.com.br/
           
                   O destino, a fatalidade, ou mesmo as minhas necessidades espirituais levaram-me para longe do meu lar maternal.
                Nos meados do ano de 1973 , fui residir na capital do estado, na cidade do Recife, na companhia de uma das minhas irmãs que reencarnou dois anos antes de mim.Ela havia acabado de contrair núpcias e me levou para a sua residência, objetivando oferecer-me oportunidade para fazer o curso superior.
Com  ela permaneci onze anos.Presenciei o nascimento de seus dois primeiros filhos.Quando a sua filha nasceu, não mais estava morando com ela.Meu amor por eles é o amor de uma mãe que recebe os filhos  através de outro instrumento , que não seja o seu próprio corpo.O PRIMEIRO, FOI COMO SE TIVESSE TIRADO DE MIM ALGUMA PARTE E INTRODUZISSE NELA PARA CONCEBÊ-LO. Hoje eu compreendo que na realidade ele foi não nesta vida, mas em uma bem próxima a esta  uma parte minha que retornava para minha companhia,muito embora não tivesse como merecimento tê-lo gerado  em meu ventre.Como a LEI  DA CRIAÇÃO é misericordiosa! A pluralidade das  existências .A finalidade da reencarnação,O AMOR DO PAI , por todos nós. São bênçãos divina sobre todos nós vossos filhos.
                   Como imaginar uma jornada na vida entrelaçados,como pensar na oportunidade que me foi dada.Pela minha irmã, diria eu, nasceu no mesmo lar, mas mesmo assim, quantos nascem em um mesmo lar e não recebem o que recebi? E MEU CUNHADO?Porque faria assim? Cuidou de mim como uma filha.Quem faria isso em pleno compromisso assumido? (casamento).Sua casa foi montada já com um quarto só para mim.Sei que tudo vêm deles, dos seus corações, mas isso vem de vidas e vidas, compromissos e compromissos assumidos.
            Estudei,fiz dois vestibulares, sempre fazendo opções por Economia e Biblioteconomia, não tive sucesso.Na terceira oportunidade, optei por um curso que nem sequer tinha conhecimento:Serviço Social-Universidade Católica de Pernambuco. Ingressei e dai para frente iniciei a luta por uma liberdade desejada. Sempre que possível, regressava à casa que me acolheu como filha e ali matava as saudades dos outros meus irmãos, e de meus pais.
O laço do amor permanecia,e foi se fortalecendo dentro de mim.O imenso amor que recebia da minha mãe , esse foi se tornando cada vez maior, e meu pai sempre fazendo referências a ele. 
Seis anos desta encarnação, lutando para uma conquista material, a espiritual, não dava prioridade, pois não havia despertado para ela, mas na realidade o tempo me aguardava para tal...

Nenhum comentário:

Postar um comentário