sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

SEI QUE CHEGUEI!



          Sei que em um dia não muito longe cheguei mais uma vez, desta feita nos meados dos anos cinquenta. Em uma cidade bem pequena, no seio de uma família simples e humilde, mas de grande coração.
Soube que foi um trabalheira grande para que permanecesse. A matéria delicada, sensível, muito raquítica.
Dizia o anjo que me adotou como filha, que para que eu ficasse com ela, lhe custou muitas noites de sono, cansaço, até "vela na mão levei."Disse que meu pediatra o Seu Oliveira , farmacêutico da cidade confirmou que eu tinha "gasto enterite."
E é que um certo dia, dizia-me ela que depois de longos dias de sono , junto a uma segunda mãe que me criou também , dedicando-me todo o seu amor unida a minha mãe biológica, apenas molhando os meus lábios com um algodão com água, pois não comia nada. Ela me encontra dentro da minha rede que servia-me de berço brincando com as minhas mãos. Então ela gritou exclamando para a minha tia paterna Dolores: “corre comadre Dolores que a minha filha vai escapar”! E daí para frente fui levantando o pescoço. Meu pai levava-me para o jardim da nossa casa, mas eu começava a chorar quando via as flores balançando. Dizia ela que era de  fraqueza. E foi assim que cheguei, e fui acolhida com imenso amor que me dedicaram até os últimos momentos de suas estadias no plano material. Cuidaram de mim, protegeram-me, ensinaram-me e guiaram-me a uma vida simples, mas fundamentada dentro dos Princípios Sagrados de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário